sexta-feira, 12 de março de 2010

O que são as controvérsias...

Jornal a notícia do caparaó a respeito da educação no município de Iúna...



Em 2010, muitos alunos do município de Iúna foram beneficiados com a abertura de novas salas de aula, tanto no ensino infantil como no ensino fundamental.

Na sede do município, foram abertas mais duas salas de aula na escola Dalila de Castro Rios e duas na escola Dr. Nagem Abikahir. A escola Dalila acaba de receber também 18 computadores do programa Pró-Info. Com isso, mais uma sala de aula de informática foi colocada à disposição.
No distrito de Santíssima Trindade, além de cinco novas turmas, a escola também foi beneficiada pelo Pró-Info com 18 computadores para a abertura do seu laboratório de informática.
Depois de passar por uma grande reforma, a escola Maria Barros Horsth, de São João do Príncipe, ganhou duas novas salas de aula, um auditório e está para receber alguns computadores que serão doados pelo Tribunal de Justiça do Espírito Santo. Assim que a escola receber esta doação, o laboratório de informática começará a funcionar e estará à disposição dos alunos.
A escola de Laranja da Terra, Luís Moisés Heringer, também será beneficiada pelo programa Pró-Info com cinco computadores.
Não foi apenas o ensino fundamental que foi beneficiado, o ensino infantil ganhou uma nova creche: “Joaquim Cezar” no Distrito de Nossa Senhora das Graças e duas novas turmas na Creche Pingo de Gente.

Para a melhoria da educação no município de Iúna, a secretaria acabou de receber também dois veículos novos para o transporte escolar a partir do programa Caminho da Escola, que vem renovando e ampliando a frota de veículos em todo o país. A secretaria está investindo também em novos equipamentos para as escolas. Já foram entregues 16 geladeiras e 6 novos bebedouros.

Copiado na íntegra do site

Já o portal do caparaó...



Moradores, professores e alunos estão revoltados com o descaso do prefeito de Iúna, Zé Ramos, e o Secretário de Educação, Gildo da Silveira, quanto a falta de servidores na Escola Municipal do Ensino Fundamental, Maria Barros Horsth, localizada na Comunidade de São do Príncipe, distante 50 quilometros de Iúna e 10 de Pequiá.

Segundo os moradores e alunos, o problema vem desde 2009, quando as autoridades foram comunicadas e nada foi feito, o que levou a uma paralisação até que os problemas sejam solucionados.

O ex-vereador José Elias participou da reunião na escola na última segunda-feira (01) e disse que já foi realizada uma reunião reivindicando cantineiras e professores, mas os problemas persistem. “Os moradores esperavam a presença de vereadores, secretários e representantes do Executivo para uma explicação sobre problema, mas ninguém compareceu, apesar de terem sidos comunicados através de ofícios”, reclamou.

Para a Presidente do Sindicato dos Servidores Públicos de Iúna, Luziana Peixoto, o que falta é uma colaboração das autoridades competentes e garantiu que estão requisitando o mínimo para o bom andamento dos trabalhos na escola. “A diretora e o conselho escolar reclamaram. O problema é simples: faltam funcionários. O pior é que o secretário de educação, o prefeito e os vereadores sabem do problema há quase um ano e nada foi feito. A situação está virando um caos e a população está revoltada”, indignou-se.

A diretora Christiane Horsth colocou o cargo à disposição por falta de apoio do município. “Os pais estão cobrando uma solução e está difícil continuar na direção da escola sem o apoio da prefeitura. Já alertamos sobre os problemas desde abril de 2009 e nada foi feito até então, não temos a quem recorrer, pois sem ter como trabalhar fica difícil, então prefiro voltar a ser professora e que coloquem outra pessoa que esteja disposta a encarar estes desafios, especialmente a falta de profissionais”, afirmou.


São mais de 200 alunos que estão sendo esquecidos pelo governo municipal, como se São João do Príncipe só existisse na hora em que precisam dos votos. “Precisam olhar com mais carinho, estamos distante mais de 50 quilômetros de Iúna. Deveriam olhar por São João do Príncipe com mais atenção”, reclamou a diretora.

O Presidente do Conselho Escolar, Amós Horsth, também reclamou que as reivindicações já foram feitas. “Foi feito ofício às autoridades competentes e ninguém veio dar uma solução para as reivindicações. Os problemas na Escola Municipal do Ensino Fundamental Maria Barros Horsth parecem não ter solução”.

A Prefeitura de Iúna alegou que os concursados não querem trabalhar na localidade, mas que as medidas estão sendo tomadas para solucionar o problema o mais breve possível.

Copiado na íntegra também no site



E agora eu te pergunto:

Quem tá dizendo a verdade??


4 comentários:

Adriano disse...

Eu já li uma reportagem como a do Portal Caparaó, em algum outro lugar, acho que no próprio A Notícia.

David - Lamas Bier disse...

só chamar o Chuck Norris que ele resolve isso!

Arthur disse...

Quanto a esse problema ai a prefeitura não está de todo errada. A convovação dos professores foi feita no dia 02/03, o problema é que esses professores tem 30 dias para assumir ao cargo, e a maioria deles são moradores das cidades visinhas.

Mas em qualquer caso vamo liga pro vasquim, o nº é 190 !!!!!

Marreco disse...

Banda de Larápios...