quarta-feira, 5 de outubro de 2011

Universo Feminino

Não adianta, sempre estamos ligadas de uma certa forma, seja no blog, no face e até mesmo no msn... Minha amiga de Piaçú passou este texto para uma outra amiga de Iúna, comunicando que o texto era a cara dela; Esta já me passou dizendo que era a minha cara; Eu já acho que é a cara de muitas... Rsr...


Este texto foi modificado com certas palvras, acrescentado com outras, mais é exclusivo do blog Borboletando de Stéfanie.


Sou metade auto-suficiente!


Metade de muitas ainda acreditam no amor verdadeiro, que ele vai olhar para cada uma um dia e simplesmente dizer: Que bom que te encontrei, e que assim tudo ficará bem, ele será o único, o melhor amigo, o amor, a outra metade. Já a outra metade, sabe muito bem que o amor veradeiro está em tudo aquilo que você realmente acredita, que não existe perfeições, que todos nós somos imperfeitos, mais que buscamos sempre nos aprimorar.


Uma metade acredita em amores verdadeiros, na eternidade, amores recíprocos, carinhosos... Acredita que deve sempre procurar a felicidade, e que assim encontra-la ela será permanentemente minha. A outra metade, tem certeza que não precisa de ninguém além de si mesma, ela tem garra pra realizar os sonhos, é determinada, forte, lutadora.. pois afinal de contas, ela se garante o tempo inteiro; Pra essa metade, procurar essa tal felicidade é perda de tempo, assim como tem a convicção de que o amor é uma bela, grande e boba ilusão...


Minha metade auto-suficiente sempre fala mais alto, me faz acreditar mais em mim, seguir em frente, ser forte apesar de tudo... Mas, ela não é imune, as vezes até cai na téia ilusória que é o amor, ai tudo complica, por que afinal de contas, os brutos também amam e os fortes, sempre precisam de carinhos, pois somos feitos de carne; Amores imcompletos já não me satisfazem, a metade não quer comer mais a cereja do bolo, quer comer o bolo inteiro, quer desfrutar da cumplicidade, deixar de ser apenas uma parte, quer ser inteira, intensa...

Nem de perto reconhece a metade inteligente, ela se esquece que o pra sempre não existe, se esquece de toda a confiança que sempre depositou em sí própria, e acredita firmemente que precisa de uma metade que a complete, que a tire o fôlego, que a faça se orgulhar, sentir desejo, vontades...


... E quando a teia se desfaz, quando minha auto-suficiência acorda do transe a qual foi submetida, se torna imune, agora, ela precisa encontrar um antíodo para a metade meiga, normalmente quase consegue, mas a menininha ingênua que habita dentro, apesar de tentar aprender com a auto-suficiência, ela sempre acreditará no lado bom das pessoas, sempre acreditará na segunda chance, e que pode ser feliz.

E por mais que ela as vezes saia ferida, ela sabe que também feriu, e que no fundo, não foi tudo uma perda de tempo, ela se lembra dos bons momentos, e acredita que virão momentos melhores, essa é a tendência.


Estou aprendendo a lidar com minhas metades, agradeço por não ser totalmente auto-suficiente, se eu fosse, nunca arriscaria, não tentaria fazer o que realmente acredito; A sensação de ser completa, e não apenas metade.

6 comentários:

Adeir Monteiro disse...

o amor é feito de 50% para cada um, por isso tudo em nossas vidas é uma metade... Até

Jáááárdel disse...

chora cavaco!

Aildo disse...

Já que o assunto é metade, vejam http://letras.terra.com.br/oswaldo-montenegro/72954/

Rodrigo da Viola disse...

O amor não importa, o que importa é o cabelo !!

Clara disse...

Oswaldo Montenegro é tudo amigo!!! Conheço e sou apaixonada.

Clara disse...
Este comentário foi removido pelo autor.